quinta-feira, 5 de maio de 2016

Análise mensal - Boruto #01

- The Next Generations –

Fala galerinha, depois de muito tempo (mentira nem tanto tempo assim, mas ok) estou de volta com minhas análises de capítulos. Bem, antes de irmos ao tópico principal quero explicar o título do post: desde o começo a proposta dessa coluna em si é analisar os títulos que eu, PêdaSilva e Dex estamos lendo e estamos perto do Japão, para ajudar na spoiler zone; logo essa análise pode ser semanal, quinzenal ou mensal. (Ficou uma bosta essa explicação, mas ok).
Dito isso, vamos falar sobre a análise de hoje, que é uma das mais aguardadas pelos fãs dessa franquia que tem seus fãs.  Vamos falar hoje do primeiro capítulo de Boruto! Capítulo esse que saiu nessa semana e tem periocidade MENSAL na JUMP. Logo, próximo capítulo SÓ EM JUNHO. Cientes disso, simbora minha gente.

Capítulo 01 – Uzumaki Boruto

O mangá começa em uma cena no futuro mostrando Boruto, já com seus 17 anos, no meio do confronto com Kawaki e durante esse começo vemos que Konoha está em pedaços e o Kawaki fala que mandará nosso protagonista para onde está o 7º Hokage. No meio disso, entra um curto dialogo do adversário do nosso protagonista dizendo que a era dos shinobis acabou e, após isso, o Boruto abre o olho que está com uma cicatriz (não sem antes colocar sua bandana) e desperta o byakugan.
Após essa sequência bacana até, vamos para um pequeno monólogo (acho que dá para chamar assim) do Boruto dizendo que aquela é a história dele, não do pai dele, porém que ambos estavam conectados pelo laço e, nesse monologo, já fica claro o ressentimento que o garoto tem pelo pai, ao término dessa introdução, que deve ter rendido quase metade do primeiro capítulo é que ele “começa” mesmo.
Começa com todas as aspas possíveis, porque esse capítulo nada mais é do que 80% focado em recapitular o filme do Boruto que foi lançado ano passado. Não que seja horrível, mas tira o gosto de quero mais e a expectativa, até porque todos os fãs da série já viram o filme e sabem o que acontecerá nos próximos dois capítulos, aproximadamente, e isso tira o ânimo de supor demais, até por só termos como suposição as 6 primeiras páginas que é o Boruto mais velho, pois ficamos a nos perguntar como chegou naquele ponto, e o que houve ao Naruto, fora isso não tem muito acréscimo válido, pois o capítulo segue naquele começo do filme com o time Konohamaru tentando pegar o panda, ele mostrando o equipamento cientifico que reproduz qualquer jutsu e todo aquele blá blá blá que, quem viu o filme já conhece.
Um ponto digno de nota aqui fica por conta da arte do Mikio Ikemoto, que foi assistente do Kishimoto e tenta emular a arte dele, mas falha miseravelmente em muitos momentos, ficando uma arte um tanto feia e difícil de engolir, mas com o tempo creio que possa melhorar, mas é esperar para ver.

No fim das contas, esse primeiro capítulo não foi dos melhores, foi morno quase frio. Não que EU esperasse muito, Naruto perdeu o fôlego na história desde que começou a enrolar demais na guerra ninja e esse capítulo acaba, sem querer, provando que, às vezes, é melhor deixar uma obra que vende descansar em paz. Espero que os próximos capítulos melhorem e expliquem mais sobre os personagens, porque seguir o ritmo do filme não vai prender quem espera mais.
Postar um comentário