domingo, 22 de maio de 2016

Top 5 – capítulos marcantes

Aqueles momentos que tornam o mangá especial


Olá galera, depois de muito pensar e matutar decidi seguir adiante e colocar minha ideia de top 5 aqui no blog. Ok, não sou nenhum primor com isso ainda, mas acho que esse será um quadro relevante (ou não). Em todo caso, nesse primeiro top 5 vamos falar sobre capítulos que marcaram minha pessoinha. Logo, vamos lá ver esses capítulos! Não esqueçam de comentar, adoraria saber os capítulos que marcaram vocês (até para render podcast ♥)



5º Lugar: Katekyo Hitman Reborn – Capítulo 279

Bem, dando início a esse top 5, vou começar com um capítulo que li recentemente e me fez lembrar do porquê eu gostar de Reborn!. Esse é aquele típico capítulo que dá o clímax para o final e ainda sim, consegue te cativar.
Vamos aos motivos: Esse era o final do arco do futuro, mais precisamente do arco pós-choice, estávamos no momento derradeiro da batalha do Tsuna contra o Byakuran e, no meio disso tudo, a Yuni estava para reviver os arcobalenos (que foram mortos, e isso não é spoiler antes que comece o auê); e esse foi o capítulo que “resolve” esse último ponto, deixando os capítulos seguintes para o desfecho da luta. Porém o que toca mais nesse capítulo é a condução dele. Tia Amano soube fazer um capítulo que pega o feels do negócio, te deixa tocado e te encanta. O final do capítulo, em si, não é algo que surpreende (até por aquilo já estar destinado. Arcobalenos do céu tendem a ter vida curta), mas ainda assim o modo como foi feito, te deixa em um momento de choque, misturado ao feel básico. E é por esse motivo que Reborn! pega o 5º lugar.

4º Lugar: D.Gray Man – Capítulo 219

Ok, meu 4º lugar não deveria estar no lugar em questão, devia estar até em posições mais altas, maaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaas... os três primeiros lugares não podiam mudar. Logo vocês entenderão os motivos. Enfim, vamos falar do capítulo que o plot twist foi levado a outro nível.
Creio que todos, ou boa parte, já tenha tido contato com essa obra épica da Tia Hoshino, se não tiveram corram para assistir e ler, pois vale muito a pena. Em todo caso, vale dizer que a obra em si sempre foi de fazer revelações meio wow a todos que acompanham, diria até mais; D.Gray-Man é uma daquelas obras que te deixam sempre querendo mais e fazem você se apegar aos personagens. É uma típica obra que você não sabe para onde vai, mas quer acompanhar até o final.
Depois desse texto introdutório “GIGANTE” vou explicar o que esse capítulo é. Ele nada mais é do que um momento de plot twist IMENSO. Sério, quando eu li meu cérebro bugou lindamente (e o PedaSilva e a Thay receberam msg minha 1h30 da manhã comentando o quão chocado eu estava com o capítulo) e, o mais impressionante, é que tudo isso é explicado com uma maestria ímpar no capítulo seguinte; não vou entrar em detalhes do que ocorre exatamente, quem leu sabe o que foi e sabe que foi algo para mudar toda nossa percepção dos rumos que a série poderia levar.
Vale a menção, também, que com esse capítulo ela meio que começou a deixar meio claro de que está para pôr ponto final na obra, mesmo não dizendo isso claramente ela começa a juntar as peças e nos faz pensar MAIS.
PS: Apenas como menção, se você tiver dúvida da revelação do capítulo e quiser cavoucar atrás de indícios. A novel Reverse #3 mostra que é verídico.

3º Lugar: Vinland Saga – Capítulo 52


E começando o top 3 com pé na porta. Começando falando de Vikings e indicando com força esse mangá para quem não leu. Falar que Vinland Saga é sensacional ainda é pouco, a obra é excelente em muitos pontos e, para mim, tem uma história que só melhora e esse capítulo é o ápice da primeira parte do mangá. Foram 7 FUCKING volumes, para chegar nesse capítulo e quando chega... meu amigo, você fica de c* no chão com as consequências.
Obviamente eu poderia contar tudo que rola no capítulo, mas assim como fiz nos outros do top, vou deixar apenas na curiosidade para quando você ler. Porém é inegável que aqui conseguimos ver bem o nível de pensamento desenvolvido que o Asklead possuí, pois no momento de acuação, ele opta pelo caminho que menos dê problemas. Ele decide por algo que seja “bom” para todos, mesmo que as consequências disso sejam trágicas. E daí para frente tudo muda, digamos assim.
Acho que não dá para falar muito desse capítulo, não sem contar demais. Logo eu aconselho quem você que ainda não leu, leia. Porque vale MUITO a pena.

2º Lugar: Black Bird – Capítulo 32

Segundo lugar, fica com meu shoujo xodó. Black Bird entra nessa lista porque esse capítulo é puro feels, é puro amor; mais do que isso é a consumação do amor da Misao e do Kyo (sim, dei spoiler q). Esse é o capítulo que faz todo sentido para quem acompanhou a história até esse ponto; você sente que a Sakurakouji-sensei estava esperando por esse momento, mais do que isso, você sente que ela queria fazer esse momento ser especial e único.
Esse capítulo, assim como no caso do 3º lugar, encerra toda primeira parte do mangá e realiza algo que todos que leram o mangá queria ver, porém essa realização é feita com maestria, carrega um tom poético e as flores de Sakura são o ponto alto disso, elas que dão o tom ao amor deles e a toda metáfora; prova disso é que a capa desse capítulo também é a capa do volume.
Posso dizer apenas que, quem não leu... leia. Porque esse capítulo é perfeito, é feel demais e acima de tudo, nos mostra que a Kanoko sabe guardar o melhor para os finais ♥

1º Lugar: Medaka Box – Capítulo 185

Vamos lá... primeiro lugar, para a surpresa de todos, é uma série que por anos desprezei, por anos me apeguei a ideia que era horrível e quando deixei o pré-conceito de lado e resolvi dar uma chance, me encantei. Senti como se estivesse vendo uma obra totalmente diferente daquela que julgava ruim. Ok, o começo é difícil de engolir. É difícil de digerir, mas quando você segue adiante dá uma sensação excelente. E esse capítulo é, mais do que o melhor capítulo que já li, uma lição de vida. Uma aula sobre o que é um slice afinal de contas, isso para mim claro.
O capítulo é simples, emocionante e, sim, me fez sentir as lágrimas escorrerem nos discursos do Zenkichi e do Kumagawa, mais do que tudo fez eu me identificar com ambos discursos e ver que no fim, a escola é aquilo que o Zenkichi diz e a vida é complicada, mas sempre dá para seguir sorrindo; fora tudo isso temos um discurso que a Ajimu disse lá atrás se realizando, temos uma vitória.
É nesse capítulo que temos o auge do que é Medaka Box, não como shounen, mas como obra. É aqui que o Nisio nos prova que valeu a pena aturar 20 volumes que ele só melhorou todo conceito. Tudo aqui vale, você até lembra dos momentos passados: do arco dos minus, do arco da sucessão; você lembra que passou por tudo isso, que viu os personagens evoluírem, viu que a anormalidade é uma condição; viu ideologias sendo quebradas, impossível virando possível, viu que ninguém vive apenas com um pensamento, é preciso sempre se renovar. Você se apegou aqueles membros do conselho estudantil, se apegou a todas as situações e ali é o final disso. Sendo bem franco, ali é o final da série; mesmo sabendo que depois desse capítulo ainda temos mais 7 capítulos para finalizar o mangá, é nesse capítulo que você sente o ciclo se completando.
Acho que esse é aquele típico capítulo que mostra mais do que deseja. Ensina bem e, acima de tudo, prova que o pré-conceito as vezes não vale a pena. 
Postar um comentário