sexta-feira, 3 de junho de 2016

Análise mensal - Boruto #02

O começo do treinamento (?)

Fala galerinha! Um mês passou voando hein? E agora cá estou para trazer a análise do capítulo desse mês de Boruto. Análise essa que, como todos sabem, possuí periocidade mensal; tendo em visto que a obra é a única dentro da Jump com essa periocidade. E para os fãs da obra, uma boa notícia, o primeiro volume, segundo está sendo divulgado, tem previsão para agosto.
Enfim, feito os comentários relevantes (ou não), vamos para o capítulo do mês e para todo aquele blá blá blá do tio Ikari.

Capítulo 02 – O começo do treinamento

Mais um capítulo vem, e ainda estamos na adaptação do filme. Eu poderia ser simplista, dizer que é só isso e ir embora, mas vou fazer o negócio direito e tecer comentários sobre o capítulo, mas tentando não tocar muito no que ocorre nas páginas, para evitar spoilers.
O capítulo, em si, começa no exato ponto onde o anterior parou, com o filho do ninja gari pedindo que o Sasuke o treine. O membro do clã Uchiha questiona se nosso protagonista sabe fazer o rasengan, complementando que, em caso de resposta negativa, não o aceitará. Boruto diz que será moleza aprender e saí dali rapidamente.
Ok, vamos ao comentário base: mesmo que eu queira fugir do padrão aqui, dificilmente vou conseguir 100%, até por já ter uma noção do que ocorre e saber como esse arco terminará. Acredito até que, se a competência do roteirista permitir esse recap do filme termine em 5 capítulos, mas posso ser surpreendido, já que o capítulo anterior adaptou (linearmente falando) 20 minutos de filme e este adaptou apenas 9 minutos; claro que o próximo, que é onde se focará em alguns fatos movimentados pode mudar isso, mas aí depende de como será conduzido.

Indo direto ao ponto (vamos evitar tornar isso uma leitura do capítulo em texto), esse capítulo, ao meu ver, tem muita informação e pouca ação excessiva. Aqui se reintroduz o conceito de aprendizado do Rasengan; agora é a vez do Konohamaru ensinar o Boruto, assim como ele aprendeu com o Naruto, porém aqui entra um ponto que achei bacana, que é a questão dele ter potencial como um bom ninja, porém não ser um ninja motivado e isso o tornar um shinobi que só é reconhecido de fato por ser filho do “7º Hokage”. E essa é a força motriz desse primeiro arco em um todo, até onde se nota; é no detalhe dele ser filho do Hokage que mora todo celeuma inicial. Ele quer ser reconhecido por isso, porém não consegue compreender o pai dele e nem o próprio potencial, o próprio Sasuke nota essa falta de compreensão e sugere que o pequeno tente entender não o Naruto Hokage e sim compreenda quem fez seu pai ser o que ele é atualmente. O discurso é bacana e se encaixa bem na ideia.
Outro fato que cabe menção aqui é sobre o apetrecho criado para ninjas (aquele que permite utilizar vários jutsus diferente). É nesse ponto que nosso protagonista é tentado, novamente, a pega-lo e provar que os ninjas tecnológicos serão a nova moda. É bom lembrar que, no primeiro capítulo, houve a sugestão de utilizar a máquina no exame Chuunin e o 7º proibiu, porém é ver o que os próximos capítulos mostrarão sobre isso. Até porque o time Boruto, Sarada e Mitsuki estarão no exame. Sim, jovens, o exame é logo no começo do mangá e é o primeiro arco, enfim.
Um ponto que até agora eu evitei comentar e merece comentários, sem dúvida, é a arte do capítulo. Li em alguns sites que o traço estava melhor, mais bonito, porém devo discordar; não por ser chato (coisa que sou), mas sim por ver que o Mikio-sensei ainda não acertou o tom. Hora ele parece querer deixar de seguir o modelo Kishimoto, hora ele parece querer emular demais esse traço e isso torna o mangá cansativo de se ler, pois parece que a história está com um traço que não condiz com ela (estranhamente, quando eu não gosto do traço, o roteiro tende a perder muito seu brilho para mim). Creio que seja hora dele tomar uma decisão e começar a seguir o estilo que fica mais confortável para ele, pois esse capítulo continua com aqueles desenhos hora ok, hora um horror.
No fim das contas merece um destaque o final do capítulo, que é focado na luta do Hachibi contra umas pessoas estranhas, as quais o Sasuke se refere como possíveis descendentes da Kaguya. As consequências que essa caçada deles trará para história vocês poderão ver nos próximos capítulos.
Por hora posso apenas adiantar que, se continuar desse modo, a história pode não vingar o suficiente para vermos além do previsível. Certo que mesmo assim teremos vendas, afinal é algo do legado Naruto, mas fica a dúvida se isso será o suficiente. 
Postar um comentário