sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Primeiras Impressões - Ole Golazo

Futebol de volta a Jump semanal

O ano está acabando (jura Paulo Ikari, se você não fala eu nem notaria) e, com isso, mais um ano fiscal da Shonen Jump se encerrou. Porém isso não é de todo ruim, pois nas últimas edições do ano de 2016 tivemos duas estreias, uma delas que é Demon’s Plan (que logo comentarei sobre) e o alvo de nosso texto de hoje.
Senhoras e senhores, vamos falar hoje sobre Ole Golazo! O novo mangá esportivo da semanal que mais vende na terra do Sol nascente.

Sinopse (Via Kyodai Scans):

O que acontece quando um lutador de taekwondo se aventura a jogar futebol? (Sim, é apenas isso a sinopse).

Considerações (Ou, bola na trave não altera o placar*):

Já sendo bem direto, conheço gente que não acha obras esportivas, na versão mangá, interessantes; mas essa consegue cumprir, a contento, essa árdua tarefa se fazendo interessante, mesmo utilizando os clichês recorrentes (personagem novato no esporte que consegue fazer algo incrível). Devido a isso, já temos uma possível diretriz de como o autor irá se basear no desenvolvimento, mas vamos comentar isso durante os próximos parágrafos.
O mangá, da autoria de Moue Takamasa, conta a história de Banba, um rapaz que era ex-campeão de taekwondo, mas devido a percalços da vida, acaba saindo do esporte e, por outro mero acaso, se direciona ao futebol; mas ele entra no esporte sem saber de nada sobre ele, apenas que deve chutar a bola, no fim ele consegue fazer um golaço e assim começa as aventuras de nosso personagem. Sim, em resumo é isso que ocorre no primeiro capítulo e já entrega a ideia do plot (sim, estou me repetindo); porém o que levanta curiosidade sobre esse plot é justamente a questão do golaço e como o autor evidencia isso.
No quesito história, temos apenas o básico sendo apresentado. Aqui temos o protagonista e seus trejeitos, assim como alguns personagens de apoio que são a Hinamori, que treina um clube infantil de futebol e é apaixonada pelo esporte e um dos veteranos do time da escola na qual Banba está matriculado; fora eles não temos muitos personagens que recebam destaque nesse capítulo, mas sendo franco, apenas o Banba tem um grande destaque e cumpre com maestria isso de ser o centro das atenções, nesse primeiro momento, até porque é divertido descobrirmos mais sobre ele para, então, entendermos como ele se envolverá com o mundo do futebol.
A cena em que ele faz o “golaço” é bem prova que o autor tem em mente aproveitar, ao máximo, o fator protagonista que possuí uma habilidade extra na série. Ou seja, podemos esperar altas nuances dessa série. Quanto ao traço, posso dizer que, como não li a obra anterior do autor, gostei do traço dele e do estilo narrativo, mas, ainda assim, acredito que tanto roteiro quanto traço podem evoluir e muito, fazendo a obra se tornar um forte candidato a obra segura dentro da line-up atual da Jump.
E por falar no autor, essa é a segunda obra dele; a primeira (Galaxy Gangs) foi publicada como uma one-shot (correção feita, valeu pelo toque Clássicos Eternos). Logo, espero que ele tenha aprendido com o que deu errado no passado e que os leitores deem uma chance para ele emplacar essa obra de futebol; até porque eu não tive tempo para ver como anda sendo a recepção da galera no reddit e outros fóruns lá de fora.

Veredito (Ou, chuta essa bola!):

Assim sendo, creio que essa é uma obra que eu, como fã de mangá esportivo que sou (apesar de ser um gordo sedentário), curti. Não é aquele primor, mas teve um primeiro capítulo que me chamou atenção e não enrolou demais em explicar ao que veio. Só por isso, já indico a obra, porém mais do que isso, a obra parece ter mais a mostrar e eu quero ver esse mais, quero ver até onde esses personagens podem chegar.

No mais, torço para que esta obra dure bastante na Jump e vingue, pois, a antologia anda precisando de bons mangás dessa temática para se firmar, ainda mais, como uma revista para todos os estilos. Sinceramente, torço para a recepção da obra ter sido alta e para vermos mais golaços.
Postar um comentário