User-agent: Mediapartners-Google Disallow: User-agent: * Disallow: /search Allow: / Sitemap: https://projectdollarscast.blogspot.com/sitemap.xml Análise semanal - Hinomaru Zumou #82, #83 & #84 - DollarsCast

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Análise semanal - Hinomaru Zumou #82, #83 & #84

O treinamento mais estranho com o Yokozuna mais espartano (!)

E acabou as férias, efetivamente. Sei que estou atrasado com essa análise, mas me desculpem não foi intenção (não me matem T_T).  Enfim, agora que conseguirei normalizar todo paranauê podemos voltar com as análises e, logo de cara, estou voltando com aquela que mais atrasada (em relação ao original) só para deixar aquele gostinho de coisa boa vindo por aí.
Então, se acheguem com o tio Ikari e vamos falar de Hinomaru Zumou. Vamos falar sobre o mangá de esporte que eu, particularmente, mais estou curtindo.

Capítulos #82, #83 & #84 – “Ainda não está acabado”, “O treinamento de um Ex-Yokozuna” & “O treinamento da moeda de cem ienes”

Não querendo ser propagandista, mas já sendo, é em sequências de capítulos como esses que volto a entender o porquê amo tanto a obra, mais do que isso, entendo o porquê a considero tanto. Kawada é um autor que sabe criar bons ciclos de evolução e trabalhar bem todo conceito do sumô, os capítulos em questão apenas reforçam essa tese e ainda deixam aquela expectativa que deixa o Shonen mais gostoso de se ler, mas vamos por partes.
Começando pelo que, particularmente, mais acho digno de nota: a técnica evoluir e se aprimorar. Esse é um foco que o autor já maneja bem e sabe como criar arcos de treinamentos empolgantes, mas aqui ele demonstrou que nem o limite é tão limite assim, pois a técnica vive se aprimorando até ser algo perfeito e sua marca. Quando o Hinomaru foi treinar com os Sekitoris, passamos a entender mais sobre a questão do quanto ranking, para os ranqueados, significa. Sem ele você não é nada, apenas lixo; após a primeira vitória dele, para provar seu valor, ele começa a ver uma nova barreira subir, porque sua técnica máxima, depois de uma vez vista, consegue ser facilmente quebrada. Mais do que isso, diria eu, ela é reduzida a um simples movimento de uma vez só.
É aqui que entra o ponto de virada, ou o personagem que me chamou atenção. Aqui que conhecemos o ex-Yokozuna, Shunkai. Ele não apenas se afeiçoa pelo Onimaru (a quem chama de demoniozinho), como o leva para treinar em sua casa, ou como ele diz, tornar a técnica atual dele uma verdadeira técnica de finalização. É legal o diálogo dele com as garotas (as managers, esqueci o nome delas #sorry), pois ele deixa claro que técnica é aquilo que você leva anos para concretizar, é algo para vida toda. É algo que você pode chamar de obra para vida.
Aqui começamos o treinamento, porém ele é bem diferente do que estava sendo esperado pelo protagonista, pois ele fica incumbido de comprar os ingredientes da janta com cem ienes e preparar tudo em trinta minutos. A priori, parece estranho, diria até que parece algo banal, porém é algo que, segundo Shunkai, ele precisa aprender sem dicas. Admito que é bacana ver ele conversando com a Reina e deixar evidente que se encantou pelo sumô do Ushio, explanando que aquele é um tipo de sumô que, se bem instruído, pode ser grandioso; assim como também é muito bem conduzido quando ele explica que já tem a resposta sobre como o Hinomaru evoluirá seu movimento de finalização, mas não o dirá, pois quer que ele entenda e grave isso em seu corpo. De fato, faz todo sentindo, tanto com a proposta da história quanto com a mensagem que a obra, por n momentos nos passa; é necessário gravar a evolução em nossos corpos e mentes, só assim assimilamos 100% o que aprendemos. A mensagem é clara e, ao final, nosso protagonista parece, enfim, ter compreendido.
Em contrapartida de tudo isso, temos a aparição do Tenma nesse arco e, sério, que aparição. Esse e o Kuni são dois caras que quando aparecem é para fazer algo digno de nota ou parágrafo. Aqui ele não apenas mostra o quão promissor é, dando trabalho para os sekitoris, como deixa claro que carregará as expectativas que puserem sob seus ombros, as cumprindo; ele também deixa bem esclarecido sua relação com seu irmão (que é um Ozeki), dizendo que ele é alguém forte, porém sem ambição, pois não almeja mais o posto de Yokozuna.

No final dessa sequência de capítulos temos, como já comentei, o Ushio entendendo o que é preciso fazer para evoluir sua técnica e o Tenma indo até a residência do Shunkai para pedir que ele o treine. Aí é esperar (eu tomar vergonha na cara para ler do inglês, ou o scan brasileiro traduzir o capítulo) para vermos o que ocorrerá a partir daí. 
Postar um comentário