sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Primeiras Impressões – Youjo Senki

Às vezes o diabo passa dos limites, outras ele encarna em uma garotinha durante uma guerra (?)

Bem, demorei para voltar (na verdade me atrasei), mas cá estou de volta e, novamente, para falar de um anime dessa temporada. Antes de começarmos a nos aprofundar no assunto, quero deixar claro que o anime de hoje não estava na minha lista prévia. Porém, como curti a sinopse, decidi dar uma chance. O resultado disso você confere na análise de hoje.
Sem mais delongas, vamos a obra de hoje! Vamos falar sobre Youjo Senki. Se acomodem, peguem seus docinhos e vamos nessa.

Sinopse:

Na linha de frente da guerra se encontra uma menininha. Cabelos loiros, olhos azuis, e uma pele branca como porcelana. Ela comanda seu esquadrão com uma voz ríspida. Seu nome é Tanya Degurechaff. Mas, na realidade, ela é um dos homens da elite japonesa mais assalariada, renascida como uma pequena garotinha após ter enfurecido um ser misterioso, que chamava a si mesmo de Deus. Esta garotinha, que prioriza eficiência e sua própria carreira acima de tudo, vai se tornar o maior perigo contra os magos do exército imperial.

Considerações:

Bem, como verme que sou (tem uma galera que não vai gostar disso) devo admitir logo de cara que, sim, eu gostei desse primeiro episódio que assisti. Indo além, eu achei que ele se justifica e instiga quem o assiste, independentemente de ser algo bom ou ruim, ele te deixa com aquela sensação de “tenho que ver o próximo para saber se vai para frente a história ou não”. Ponto.
Não quero trabalhar aqui com quem teve expectativa frustrada por esperar algo grande, até porque a sinopse fala mais da obra do que esse episódio; quero trabalhar com a realidade. E, a real, aqui é: esse primeiro episódio te diverte muito ao longo dos seus 23 minutos e, como prólogo, funciona bem. Mas é só isso e finish. Não temos grandes pretensões e o roteiro, nesse primeiro momento, não quer te explicar o porquê da guerra, como a sociedade da história vive e afins; ele quer, apenas, trabalhar para te mostrar como funciona a mecânica do negócio, como a magia e a artilharia são letais em um panorama básico e com a Tanya é um tenente que vai lá e resolve a parada. Esse é o plot do primeiro episódio, resumido de uma maneira bem rasa.
Temos, nesse episódio, momentos no qual vemos quão diabólica é esse tenente, assim como vemos o quanto o rosto infantil dela nos engana. Por trás da aparência está uma excelente estrategista, que chega no front de batalha e muda o rumo do confronto, assim como alguém extremamente inteligente, que sabe como se suceder no primeiro passo. Prova disso é quando ela pune os soldados que agiram com insubordinação. Ela sabia que aconteceria o que ocorre e o fez propositalmente, nos dando uma cena final digna de surpresa (ou não).
Creio que, cabe falar sobre o conceito de magia, que aqui também tem tudo para ser algo que, se bem explorado, dará um grande up no enredo. Isso é algo que, creio, será explorado adiante de algum modo, assim como as outras questões que, nesse primeiro momento, ficaram obscuras.

Afinal, vale a pena acompanhar?

Indo direto ao ponto/cerne de tudo: Sim! Vale, e muito, a pena. Porém não recomendo que você assista com a expectativa alta demais, pelo contrário vai sem expectativa ou vá esperando um primeiro episódio focado em apenas te dar o panorama do negócio, pois é isso que esse episódio faz, e com maestria.

Ademais, esse é um anime que eu nada dava e pretendo acompanhar fidedignamente até seu final, assim como pretendo ler a light novel que deu origem a história da diabólica Tanya.
Postar um comentário