User-agent: Mediapartners-Google Disallow: User-agent: * Disallow: /search Allow: / Sitemap: https://projectdollarscast.blogspot.com/sitemap.xml Análise semanal - Hinomaru Zumou #85 - DollarsCast

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Análise semanal - Hinomaru Zumou #85

Superando seus medos

Yo galera! Aos poucos vamos voltando à programação normal e eu vou normalizando as pautas atrasadas. Hoje é dia de falarmos sobre o segundo mangá que, de algum jeito, vocês curtem ler sobre (isso não são minhas palavras e sim o ranking de acessos... enfim).
Vamos a análise “semanal” de Hinomaru Zumou, mas antes quero pontuar com vocês uma questão que, para aqueles que acompanham TOC’s da Jump, paira no ar: Afinal, porque eu, Paulo Ikari, não estou seguindo os capítulos nas numerações atuais (que é, atualmente, o capítulo 132) e eu respondo que, simplesmente, não ando tendo tanto tempo para ler em inglês. Pois, eu não sei traduzir ao pé da letra o idioma, porém sei interpreta-lo e isso dá um puta trabalho (acreditem nisso, assistir Yu-gi-oh! The Dark Side Dimension sem legenda e tive que pausar em alguns momentos para processar todas as informações). Logo, assim que me sobrar um tempo razoável irei me acertar na leitura da obra e, com certeza, farei um pack imenso de capítulos para análise (isso se o scanlator não traduzir esse pack todo antes que eu faça isso).
Então, sem mais delongas, vamos para nossa análise! Todos para o Dohyo!

Capítulo #85 – “Onimatu Kunitsuna e Oodenta Mitsuyo”


Bem, vamos lá... sinceramente, creio que esse seja um capítulo que fez um jus imenso a ideia de superação que a série sempre pregou. Todo conceito de evolução que esse arco visou mostrar aqui, nesse ponto, começa a se fechar e de um modo muito bem trabalhado; pois finalmente temos um confronto digno entre o Tenma e o Hinomaru.
Além disso temos um Shunkai que, mais uma vez, rouba a cena e nos deixa encantado com sua postura como treinador de futuros potenciais. Ele viu uma fagulha de algo incrível dentro do nosso pequeno protagonista e quis trazer isso para fora, quis explorar isso de um modo único para o Onimaru virar um lutador completo, que não perde devido a sua baixa estatura.
Uma das coisas que, até então, mais me chama atenção para o Tenma é o fator orgulho que ele tem e carrega consigo. Não lembro se cheguei a abordar isso na análise anterior, mas ele é um personagem que transborda arrogância, chegando ao ponto de admitir que carregaria toda expectativa que colocassem nele e as cumpriria; sério essa foi uma cena que me surpreendeu muito, por demonstrar que ele é alguém que consegue segurar a barra, mas nesse capítulo ele superou qualquer expectativa que eu tinha dele, pois não é qualquer um que peita um ex –yokozuna como ele fez.
Analisando bem, creio que posso dizer que o Tenma personifica bem aquele tipo de personagem com habilidade natural, mas que, ainda assim, precisa se aprimorar (acho que o personagem que é pura habilidade natural é o little Kuni q). E a melhor forma de fazer isso, ao ver dele, é ir atrás de alguém que foi ambicioso e chegou ao topo, uma vez que seu irmão é um merda que está acomodado (foi isso que eu interpretei pelo descaso dele com o irmão Ozeki dele).
Já nosso protagonista, enfim encontrou a resposta que precisava para tornar seu movimento de finalização completo. Creio que foi preciso um pequeno empurrão da Reina para ele obter essa resposta, mas ele conseguiu e isso começou a tomar forma nesse capítulo; assim como ele começou a se tornar alguém que não foge da raia, que bate de frente com seus medos, pois você só perde se desistir. Nenhuma técnica está acabada, até que você desista de evoluir e essa foi a lição que ele teve de aprender para seguir adiante e crescer como lutador.
É isso que sempre impressiona na narrativa do Kawada (agora falando em um todo, ainda analisando o capítulo), porque ele consegue fazer em 19 páginas o que muitos não fazem com vários volumes. Ele nos faz pensar no conceito de evolução que o Ushio tem e nos faz conceber isso dentro da nossa realidade (dia-a-dia); esse é um autor que consegue trabalhar bem o que se propõe e ainda assim cria capítulos, como esse, que nos responde tudo com uma imensa maestria.

No final das contas, temos um encerramento altamente climático para esse arco. E, sinceramente, eu espero que o Kawada consiga entrar mais capítulos como esse, pois é aqui que vemos um “ciclo” se encerrar para dar espaço ao seguinte e, nesse ciclo, vemos todo crescimento do personagem principal.
Postar um comentário